Os riscos de um governo bolsonaro

minimize-risk-maximize-availability

Respeito muito meus amigos e amigas que escolheram votar no Bolsonaro. Acho que até mesmo entendo as razões que eles têm. Muitos se sentem oprimidos pela corrupção sistêmica que temos visto no país. Outros, pela violência que torna indignas e disfuncionais nossas vidas. Ainda outros podem ser seduzidos por respostas convictas, fortes, espontâneas, que parecem ser um antídoto a tudo que está aí. As respostas dos partidos convencionais a essa crise foram pífias, insignificantes, indicando políticos já estabelecidos para cargos majoritários (não somente para presidente, mas também para governadores, senadores e deputados). Há um diagnóstico correto, na minha opinião, de muitos eleitores de Bolsonaro que precisamos de uma resposta forte, que gere uma quebra estrutural em tudo que temos visto nesses últimos anos. Infelizmente, o establishment político foi incapaz de dar tal resposta, criando um vácuo político.

Vejo também que muitos de meus amigos e amigas, eleitores e eleitoras de Bolsonaro, detestam a hipocrisia estabelecida de muita gente que é politicamente correta no discurso mas que levam vidas não condizentes com o que pregam. E por isso, relativizam discursos fundamentados em direitos humanos como parte de um grande circo de mentiras. Um erro. Mas entendo sua lógica.

Até aqui chego. Não consigo enxergar mais nada. Com esses pontos contudo, queria convidar meus queridos amigos e amigas para uma pequena reflexão. Vamos admitir que o seu candidato tenha as virtudes que prega e que precisemos, como país, de sua assertividade, patriotismo, devoção e honestidade, para resolver nossos problemas mais graves, que aqui, acredito serem, entre outros, a violência, a corrupção e a estagnação econômica.

Uma vez eleito, o candidato vai precisar governar. As evidências sugerem que ele tem mais apoio popular do que tem da classe política (sendo essa segundo seus eleitores/as uma das razões para elegê-lo). Isso significa que deve ter uma grande dificuldade para conversar com o congresso, assim como vimos no governo Dilma. Então, nesse cenário, parece que ou muda o congresso (o que parece ser improvável dadas as listas de candidatos que os partidos ofereceram), ou o congresso vai tentar muda-lo. O perigoso nesse cenário, de possível dificuldade de governabilidade, será o que Bolsonaro poderá fazer. Uma opção será a inércia e morte gradual. Outra das possíveis opções é a quebra do jogo democrático. Isso pode ser feito de diversos modos, muito possivelmente com apoio do seu vice-presidente. Lembrem-se da apologia que o candidato fez ao General Ustra por ocasião do impechment da presidente Dilma. Lembrem-se do que já falou sobre o voto eletrônico. As evidências sugerem que a democracia não é um valor muito importante para o candidato.

Claro, entendo que até mesmo alguns de meus amigos e amigas, mesmo já imaginando esse desfecho, queiram um governo militar por acreditarem que se estiverem ‘do lado do bem’ nada acontecerá a eles/as e que terão a volta aos tempos de prosperidade, de ‘ordem e progresso’. No entanto, isso equivale a um retrocesso institucional significativo, onde judiciário, congresso e demais órgãos governamentais (como a polícia federal) ficariam à mercê de forças que poderiam fazer o que quisessem com quem bem entendessem sem precisarem explicar nada para ninguém, pois assim funcionam as ditaduras. Pode ser que nada aconteça com você, mas e a seus filhos/as, netos/as, amigos/as? E àquelas pessoas que não conhecem, mas são nossos concidadãos?  Já vimos esse filme antes.

O paradoxo disso tudo seria que você que votaria no Bolsonaro para acabar com o perigo da ‘venezuelização’ do Brasil, estaria contribuindo para que isso fosse o mais provável. O medo do controle da mídia pelas esquerdas e de seu projeto de poder construído, seria substituído por uma alternativa de poder casuística onde as pessoas abririam mão de suas liberdades civis. Já vimos também esse filme antes.

Uma sociedade civilizada é uma sociedade sem armas. Uma sociedade civilizada cuida de suas minorias, de seus membros mais frágeis. Uma sociedade civilizada é tolerante, preocupada com a justiça mas também com a eficiência econômica. Uma sociedade civilizada pensa o longo prazo para resolver problemas complexos e estruturais. Uma sociedade civilizada não pode ser formada a partir de um plano de poder que contenha o risco de deixar de ser civilizada.

Para concluir, queria dizer que não sou neutro moralmente ao que o candidato Bolsonaro vem dizendo ao longo de sua vida parlamentar. Ele não me representa em seus posicionamentos sobre mulheres, homossexuais, negros, avós, etc e outras pessoas que são simplesmente seres humanos como todos somos. Talvez ele não tenha se ‘expressado bem’. Talvez ele seja simplesmente anacrônico. Mas há sim um problema em termos um presidente que diz coisas que ferem, humilham, machucam e diminuem a dignidade de outras pessoas.

Mas aceito que meus amigos e amigas eleitores e eleitoras de Bolsonaro vejam nele virtudes que não são desqualificadas pelos seus lapsos morais. Tudo bem. Temos algumas diferenças aqui, mas tudo bem. No entanto, pergunto. Vocês realmente acham que pode dar certo alguém sem muito preparo para elaborar e dialogar, alguém com convicções talvez não muito democráticas, fazer um bom governo para nosso país? Mesmo que vocês respondam sim, eu pergunto. Não acham isso nada arriscado?

11 thoughts on “Os riscos de um governo bolsonaro

  1. Na realidade, nenhum candidato terá uma bancada para chamar de sua. Nem à direita, nem à esquerda. Mas, certamente, sendo um Congresso ainda mais conservador que o atual, muito daquilo que os eleitores de Bolsonaro querem, vai passar com facilidade. Seria mais arriscado com Haddad, marxista, com muito menos apoio que Bolsonaro, com Lula livre e com Manuela de vice, comunista. Seria mais arriscado com Ciro, um destemperado, que também disse querer arriscar com o socialismo. Tenho muito menos medo de errar com Bolsonaro do que o erro que seria Ciro ou Haddad vencerem.

    • Prezado Pedro, muito obrigado pela tua resposta, clara, honesta e razoável. Eu aceito com tranquilidade as pessoas que vão votar no Bolsonaro e estão cientes do balanço de riscos. (claro, tudo depende de como cada um pondera os riscos que mais lhe incomodam) Abraços

  2. Professor, sua lucidez e equilíbrio são lições preciosas para nós cientistas nessas eleições.

    Sobre sua última pergunta: creio que vale o risco.
    Aliás, faz mais de 8 meses que previ a vitória do Bolsonaro. (Tenho o POST no face e conversa no Messenger confirmando). Minha próxima previsão é guerra civil em 2019.
    Aquele papo de “refundação da república ” do Álvaro Dias tem um fundo de verdade …

    Enfim, excelente texto professor !

  3. Bom dia, claro que você não conhece ou conhece muito pouco o que o Bolsonaro representa para a população.
    Primeiramente ele é o mais “democrático” na minha opinião. Pois a maior luta dele é por liberdade. Você pode fazer , ser o que você quiser basta estar nos primórdios da lei. Inclusive ter o direito de ter amar de fogo Contudo educação sexual das nossas crianças não diz respeito ao estado são valores de cada família. A doutrinação da ideologia de gênero imposta pelo estado é a maior das ditaduras, influencia a mente dos inocentes .uma subvenção da própria fisiologia do corpo humano Nossa mídia é alienada a esquerda, e tudo o o que representa o comunismo, basta ver a última fake News produzida pela folha de São Paulo, a matéria diz que a ex mulher do Bolsonaro havia sido ameaçada de morte, ela disse que não foi, e mesmo assim a matéria foi publicada.
    Sendo assim a ideia ou o nosso conhecimento sobre os fatos depende muito, de onde nós nos informamos, pois existe tanta mentira a cerca dos mais variados temas, que o leitor precisa ser criterioso e buscar mais fontes de conhecimento para definir melhor o sua opinião, desta forma muitos estão prestando um deserviço a nação.
    O Brasil é dos brasileiros, não de meios de comunicação corruptos, e muito menos de partido político, o Brasil sendo governado por pessoa competes não por partidos ,
    Vou te dar um exemplo, fácil de ser compreendido quando nós vamos a um hospital queremos ser atendido pelos melhores profissionais, porém o direitor corrupto do hospital colaca os amigos incompetente para atender pois deve favor a eles , será que você será bem atendido?
    Claro que não.
    Se o “diretor”,se o presidente tiver ao seu lado pessoas competentes já será um grande feito.Quem for competente não tem que se preocupar, o Brasil tirando os incompetente de sena já irá economizar muito dinheiro.

  4. O que eu penso a respeito disto é que a esquerda, que é quem fortemente critica Bolsonaro, o faz sem moral. Uma vez que apoia políticos como Ciro que já declarou abertamente considerar Venezuela uma democracia. O mentor de Haddad (Lula), chorou no caixão do ditador comunista em Cuba. Então, o voto no Bolsonaro é muito mais por falta de identificação com aqueles que o atacam do que por uma identificação direta com o candidato. O que se questiona frequentemente aos críticos de Bolsonaro é: porquê fazem vista grossa quando a apologia a ditadura é feita por parte da esquerda? Por que ignoram o machismo e racismo de Lula e Ciro? É justamente essa flexibilidade Moral da esquerda que faz com que ela perca a credibilidade, e perdendo a credibilidade ela perde também a legitimidade para criticar ações de Bolsonaro que quando praticadas por seus líderes não os escandalizam.

    • Prezado Regis, verdade. A falta de critica a Venezuela é uma falha moral dentro da própria esquerda. Sim, concordo que muito do voto ao Bolsonaro é um voto de protesto. Bom ponto. A minha única preocupação é se os resultados disso não vão ser também ruins.

  5. Você pergunta se é arriscado, mas eu lhe pergunto a volta do PT não é arriscada? Ciro Gomes é melhor que Bolsonaro em que? Alckmin representa o que ?
    Porque é só Bolsonaro que representa o perigo?
    Que tipo de convicção tens sobre os demais postulantes ao cargo e não adianta indicar outros nomes que não teriam chances neste momento, porque somente um lado é perigoso em vista do que tivemos nos últimos anos e que veio a tona com a Lava jato ?
    Na verdade temos que correr os riscos para extirparmos o comunismo de vez,, vamos lutar com todas as forças para que o PT e tudo que ele representa sejam totalmente banidos, isso é um pouco de utopia e admito que fica mais para um desejo mas ainda assim espero um futuro muito melhor do que temos hoje e nossas previsões de “Venezuelização” jamais se confirmem

    • Prezado Roberto, obrigado pelo teu comentário. Sim, há riscos também na volta do PT e não os minimizo. Apenas escrevi esse post sobre um possível governo bolsonaro pois me parece que os riscos de rompimento democrático são maiores. Isso não quer dizer no entanto que voce não tenha razão, pois um possível governo do PT pode também levar a uma erosão da democracia dependendo do que procure fazer. Acho que mais de 25% do voto das pessoas nas eleições presidenciais é decidido na ultima semana, então, tudo ainda pode mudar. Tendo dito isso, não acho que nenhum partido ou pessoa deva ser ‘totalmente banida’. A democracia pressupõe a coexistências com os contrários. Obrigado pelo seu argumento, abraços

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s